MAXILABOR APOIA O DEZEMBRO VERDE

MAXILABOR APOIA O DEZEMBRO VERDE

O Instituto Nacional do Câncer – INCA estima que, no mundo, sejam diagnosticados mais de 175 mil novos casos por ano de câncer de pele. O Brasil é o país onde este tipo de câncer é mais incidente e na grande maioria dos casos, é curável, quando detectado precocemente.

Existem diversos tipos de câncer de pele, divididos em dois grupos principais: os melanomas e os carcinomas.

Carcinomas – Causa

Os carcinomas da pele estão relacionados diretamente com grande exposição aos raios ultravioleta (UV) do sol durante a vida. São encontrados com maior frequência em pessoas com pele clara. Alguns tipos de carcinoma de pele podem estar relacionados à infecção por certos tipos de vírus.

Melanoma

O melanoma é menos frequente (5%) que outros tumores de pele, porém costuma ter comportamento mais agressivo. Tem origem a partir dos melanócitos, que são as células responsáveis pela produção do pigmento (melanina) que dá cor à pele. Por isso, costumam se manifestar como pintas de cor escura (negro ou castanho).

Causa

A associação do melanoma com o sol é bem conhecida, principalmente com os episódios de exposição intensa, mas este tipo de câncer de pele também tem forte influência genética.

Alguns cuidados básicos

Evitar o sol entre 10h e 16h

Não fazer bronzeamento artificial

Usar protetor solar de no mínimo 30 FPS

Reaplicar o protetor a cada 2 horas

Utilizar chapéu, bonés, roupas compridas ou de trama fechada

Manter uma boa hidratação da pele

Verdades

Queimaduras solares aumentam o risco de câncer de pele

A história de mais de cinco episódios de queimaduras solares na vida dobra o risco de uma pessoa apresentar um câncer de pele ao longo da vida.

Roupas com tramas fechadas protegem mais do que os filtros solares

Roupas escuras e de tramas mais fechadas conferem maior proteção contra o sol.  É preferível usar roupas fechadas em situação de intensa exposição ao sol, do que usar uma camiseta regata e filtro FPS 90.

Reaplicação do filtro solar a cada duas horas aumenta proteção

Sim. A radiação ultravioleta é capaz de comprometer a estabilidade dos filtros após duas horas de exposição.

Pessoas com muitas pintas têm mais risco de câncer de pele, bem como ruivos, pessoas de pele clara ou com muitas sardas.

Todas essas características aumentam o risco de câncer de pele. 

Curiosidades

O uso de protetores solares é muito útil para ajudar a diminuir os estragos causados pelo sol, mas só isso não basta. Buscar a sombra, o uso de roupas, chapéus e óculos são medidas muito importantes.

Ao mesmo tempo em que podem causar câncer de pele, os raios solares são necessários para manter a saúde, estimulando a fabricação de vitamina D. No Brasil, a quantidade de sol necessária para a produção de vitamina D é muito pequena, e não justifica exposição intensa e nem maior que 15 minutos.

Além de serem os maiores responsáveis pelo câncer de pele, os raios solares também causam envelhecimento da pele. Tanto a exposição continuada e diária como a exposição intensa ocasional podem predispor ao aparecimento do câncer de pele.

Consulte sempre um médico para orientações e faça um exame completo da pele ao menos uma vez por ano.

O MAXILABOR apoia o Dezembro Verde.

Com informações do Centro de Oncologia do Hospital Oswaldo Cruz

Share

Gisela Vendramini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *