O que é?

O exame toxicológico é uma análise que identifica e quantifica a presença de substâncias psicoativas (lícitas e ilícitas) em um determinado material biológico. É constituído por um conjunto de procedimentos que incluem a coleta de amostra, a realização de análises toxicológicas e interpretação de seus resultados de acordo com normas específicas. A realização da análise toxicológica deve seguir 4 etapas: cadastro, pré-triagem, triagem e confirmatório.

O que pode ser detectado?

Medicamentos e drogas lícitas e ilícitas, como por exemplo: álcool (EtG), maconha, cocaína, anfetamina, metanfetamina, benzodiazepínicos, opióides, barbitúricos, êxtase, fenciclidina, mazindol, femproporex e anfepramona.

Quando se aplica?

É amplamente aplicado na medicina ocupacional (admissão, demissão e pré-funcional), em programas antidrogas através de sorteios (conheça o nosso programa CUIDE), pós-acidente, acompanhamento e pós-tratamento (empregados que estiverem em acompanhamento médico-social).

É, ainda, exigido em alguns concursos públicos, como por exemplo, nas forças de segurança pública (polícia militar, federal, civil, corpo de bombeiros, entre outros); exames particulares, com finalidades judiciais e/ou problemas familiares; alteração comportamental, e acompanhamento clínico de dependentes. Também na aviação civil – RBAC 120 e para a Lei do Caminhoneiro.

Janela de detecção

Janela de detecção é o nome que se dá ao período de tempo que o exame é capaz de detectar qualquer substância no material analisado. Pode haver uma pequena variação de acordo com as características individuais de cada doador e frequência de uso.

A tabela abaixo demonstra as matrizes e a janela de detecção.

Matrizes de Análises

Atualmente, o Maxilabor tem expertise para analisar 3 matrizes: saliva, urina e cabelo. Cada uma delas tem uma janela de detecção específica: curta, média e larga detecção respectivamente.

SALIVA – CURTA DETECÇÃO

Quando a necessidade é detectar alguma substância em minutos e/ou poucas horas após o uso, a amostra certa para se coletar é a saliva, que representa uma curta janela de detecção.

Objetivo: saber se o doador da amostra está sob efeito de alguma substância naquele momento.

Finalidades: pós-acidente e/ou antes de exercer a função.

Conheça o kit Presto Saliva Álcool, o Kit Presto Saliva Sem Álcool e o Salivete 

URINA – MÉDIA DETECÇÃO

Quando a necessidade é detectar alguma substância em horas e/ou dias após o uso, a amostra certa para se coletar é a urina, que representa uma curta/média janela de detecção.

Objetivo: saber se o doador utilizou alguma substância nos últimos 3 a 5 dias.

Finalidades: utilizado por empresas, para a inibição do uso de drogas, (empresa “limpa”) e/ou acompanhamento de dependência química.

Conheça o kit Presto Urina, o Kit DX e o Kit Urina Convencional

CABELO – LARGA DETECÇÃO

Quando a necessidade é detectar alguma substância após meses de uso, a amostra certa para se coletar é o cabelo, que representa uma larga janela de detecção.

Objetivo: saber o histórico do doador nos últimos meses.

Finalidades: admissional, demissional, concurso público, CNH (primeira habilitação, renovação e alteração de categoria), processos judiciais e Lei do Caminhoneiro.